Basta conversar uns cinco minutos comigo para se dar conta do tanto de orgulho que sinto de minha terra, pelos mais variados fatores. Esse post fala de um dentre eles! Venha comigo que o negócio é bacana 😀

Vamos do começo: existe, em Sergipe, um centro do Instituto de Pesquisa em Tecnologia e Inovação, mais conhecido como IPTI, órgão privado sem fins lucrativos fundado em São Paulo, em 2003. Ele busca desenvolver comunidades a partir da arte, da criatividade, da tecnologia e da inovação por meio de seus projetos, que variam dentre múltiplas áreas de atuação. Dentre esses projetos está o Arte Naturalista, cujo objetivo era capacitar jovens do município de Santa Luzia do Itanhy para técnicas artísticas como grafite, pastel, nanquim e aquarela, a partir do estudo e observação do manguezal.

O talento e o empenho dos alunos chamou a atenção de apoiadores, e daí surgiu a Casa do Cacete (CDC), que se refere a um lugar longínquo, em bom dialeto sergipano. A empresa começou lançando uma linha de camisetas em 2015, estampadas com patas de caranguejo, aratus e seus demais variantes e, de lá pra cá, já colaboraram com a Morena Rosa, com o banco Banese, e ganharam alguns prêmios.

Conversando com Genisson, um dos membros da CDC, ele me falou que o projeto, hoje em dia, é a certeza de que tudo está dando certo, pela possibilidade de se sustentarem pelo que mais amam, o desenho, sem deixar as raízes de Santa Luzia, o que parecia uma crença impossível. Ele comentou, ainda, que é muito gratificante poder repassar os conhecimentos que adquiriu às crianças e aos adolescentes luzienses, que passam a ter novas perspectivas de futuro a partir da ilustração.

Hoje, a CDC estampa nada menos que as peças da última coleção da Osklen, entitulada “ASAP” – As Sustainable As Possible, As Soon As Possible. A coleção foi apresentada em abril no São Paulo Fashion Week e tem caráter de manifesto, dando ênfase a tecidos de impacto ambiental reduzido e reaproveitamento de materiais, e se desdobrou também em um documentário, lançado em agosto no Instituto Moreira Salles, no Rio de Janeiro. Abaixo estão algumas das criações estampadas com os desenhos de Genisson e Matheus, seu parceiro de Arte Naturalista e CDC.

Fico feliz demais com iniciativas como essa, que dão voz a quem tem propriedade de causa e trazem verdade para as criações – não é um artista estrangeiro retratando a fauna local, mas os próprios moradores da região do manguezal. Espero sinceramente que as marcas utilizem da facilidade comunicacional do nosso tempo e busquem incorporar seus significados desde a origem, numa relação de ganha-ganha, trazendo a cada vez mais projetos como esse como coautores de seu discurso.

A quem ficou interessado pelo trabalho da Casa do Cacete, basta entrar em contato aqui. As peças já estão à venda tanto online quanto nos endereços da Osklen e há modelos tanto femininos quanto masculinos, em todas as faixas de preços.

Se você conhece iniciativas desse tipo, comente aqui, que eu vou amar conhecer mais sobre!

Imagens: Acervo Genisson Cardoso / Divulgação Osklen

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s